Vantagens e desvantagens em trabalhar com carteira assinada

Com o mercado de trabalho brasileiro cada vez mais complicado, onde se tem um número alto de desemprego, garantir um emprego com carteira assinada é cada vez mais difícil. Essa dificuldade vem fazendo com que algumas pessoas abrissem mão da busca por uma vaga de trabalho tradicional e comecem a ser autônomas.

Apesar de o trabalho autônomo oferecer muitas vantagens, ter a carteira de trabalho assinada como empregador pode ser ainda melhor, em alguns casos, ou seja, ter a carteira assinada é uma boa estratégia para garantir direitos trabalhistas, como a aposentadoria, por exemplo.

Algumas pesquisas feitas com os trabalhadores brasileiros afirmam que a maioria deles preferem a segurança do regime da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), pois assim os benefícios e a formalidade são garantidos.

Pensando nas dúvidas que muitos trabalhadores têm sobre esse assunto, nós separamos as vantagens e desvantagens da carteira assinada para poder esclarecer todas essas questões. Confira:

Vantagens

O trabalhador que está empregado no regime CLT, além de ter garantia de férias e o 13° salário também possui direito a um período de 90 dias no início do trabalho onde o empregador pode assinar como “período de experiência”.

Além de ter direito ao FGTS e ao PIS/PASEP. Nesse último caso é preciso estar atento à tabela PIS 2021 caso você se encaixe nos requisitos.

No regime CLT também é garantido o pagamento salarial, as mulheres têm direito a licença maternidade de 120 dias (com garantia de emprego por 5 meses após o parto) e é possível ter folga em casos de casamento, alistamento ou morte de parente próximo.

Os trabalhadores também têm desconto máximo no vale transporte de até 6% do salário, pagamento de horas extras (quando trabalhadas), aviso prévio para os casos de demissões e ainda seguro desemprego.

No entanto muitas vezes esquecemos de outras questões que não reconhecermos como benefício para quem possui a carteira assinada. Um exemplo claro é o repouso semanal remunerado, que garante pelo menos uma folga por semana.

Desvantagens

Apesar de parecer ser a melhor opção, algumas vezes trabalhar em regime CLT pode não ser tão bom assim, ou seja, quando se está vinculado ao trabalho formal assalariado, é normal que o trabalhador perca a flexibilidade de horários, ter que se deslocar até o local de trabalho e ser submetido às ordens do empregador.

Além disso, o trabalhador formal também tem descontado na folha de sua remuneração o percentual de 11% sobre o recolhimento obrigatório do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), assim como benefícios da previdência social como auxílio doença e licença maternidade. Os demais descontos geralmente são pagos pela empresa.

Declaração Imposto de Renda para Pessoa Jurídica

Quem tiver a denominação de pessoa jurídica e for obrigado a fazer a declaração IRPJ 2021 deve ficar atento aos prazos. É muito importante fazer essa declaração para que o contribuinte não seja pego na Malha Fina. Saiba mais sobre como fazer a declaração do IRPJ 2021 a seguir!

Os brasileiros já estão acostumados com a quantidade de impostos que são obrigados a pagar. O Imposto de Renda para Pessoas Jurídicas (IRPJ) é apenas um desses tributos que devem ser pagos para o Governo obrigatoriamente.

O IRPJ nada mais é do que um tributo recolhido pela Receita Federal que poder ser declarado de forma trimestral ou anual. Essas declarações geralmente são feitas nos meses de março, junho, setembro e dezembro.

Quem for obrigado a declarar e não fizer a declaração poderá sofrer alguma cobrança de tributação do Governo. Quem declarar de maneira errada, poderá ficar retido na Malha Fina.

Preciso declarar o IRPJ 2021?

Antes de saber todos os processos para fazer a declaração do IRPJ 2021, é muito importante que você saiba de fato quem precisa fazer essa declaração, pois existem grupos que são isentos.

A declaração do Imposto de Renda para pessoa jurídica é destinada exclusivamente para quem possui CNPJ, mas existem casos em que a pessoa possui o CNPJ e não precisa declarar.

Microempreendedores individuais ou MEI não precisam declarar esse imposto, pois eles são considerados isentos.

Muitos empresários ainda ficam na dúvida sobre quem realmente deve fazer essa declaração. Ao contrário do IRPF que possui diferentes perfis de declaração, o Imposto de Renda para Pessoa Jurídica possui basicamente 2 tipos de declaração. Conheça-as a seguir:

Pessoas jurídicas inativas

Esse grupo de contribuintes refere-se a todas as empresas que não tiveram nenhuma operação efetiva financeira ou patrimonial.

Anualmente, essas empresas precisam fazer a Declaração Simplificada da Pessoa Jurídica Inativa.

Pessoas jurídicas ativas

Esse grupo está destinado a todas as empresas que realizaram pagamentos a outras empresas envolvendo impostos como CSLL, COFINS, PIS e PASEP.

Além dessa situação, empresas que realizaram transações financeiras a outras empresas no exterior também se tornam obrigadas a fazer a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Jurídica 2021.

Geralmente, quem faz esse processo de declaração são os setores de contabilidade das empresas. Para facilitar, procure esse setor na sua empresa.

Como fazer a declaração do IRPJ 2021?

Mesmo que ainda não esteja disponível a opção para você fazer a sua declaração do IRPJ 2021, você pode acompanhar a seguir algumas informações importantes para fazer a sua assim que estiver disponível. Acompanhe:

Declaração Simplificada da Pessoa Jurídica Inativa

  • Acesse esse site;
  • Preencha corretamente os números do CNPJ e do CPF do responsável;
  • Digite os caracteres correspondentes a imagem;
  • Clique em “Confirmar”, verifique todas as informações que aparecerem e prossiga com a sua declaração.

Declaração do Imposto de Renda Pessoa Jurídica 2021

A maioria das empresas deixa esse tipo de declaração sob responsabilidade do setor de contabilidade.

Esse tipo de declaração é feito através do programa disponibilizado pela Receita Federal.

Para saber mais informações sobre esse tipo de declaração, visite esse site.

Quais as diferenças e semelhanças entre as provas do ENEM x FUVEST?

Quando se trata da sua formação acadêmica, é preciso pesquisar bastante! Existem algumas formas de ingressar em cursos de nível superior, como o ENEM e o FUVEST. Muitas pessoas acabam confundindo as duas provas, mas vale lembrar que elas não são iguais. Você sabe quais as diferenças e semelhanças entre as provas do ENEM e do FUVEST? Saiba tudo a seguir.

O ENEM

O ENEM corresponde ao Exame Nacional do Ensino Médio e a forma mais popular e padrão de ingressar no nível superior. As provas avaliam os conhecimentos dos estudantes e a sua sua pontuação irá definir a distribuição de bolsas.

É possível começar um curso superior pelo ENEM através de dois sistemas, o Prouni, para as universidades privadas, e o Sisu, para universidades públicas. Os cursos SISU 2021 e PROUNI são muito concorridos pelos estudantes e abrem inscrição duas vezes ao ano.

Mas vale lembrar que os sistemas são diferentes. Para realizar o SISU inscrição você deve estar atento às datas e se inscrever na plataforma digital da inciativa. Para o Prouni, a data de inscrição é outra e também e a realizada pelo próprio sistema do programa.

A FUVEST

A FUVEST é a Fundação Universitária para Vestibular e é uma das provas mais importantes do Brasil. Todos os anos, a avaliação é realizada por muitos estudantes e também é considerada uma das mais concorridas.

Este é um vestibular muito participar, possuindo características independentes que são atualizadas todos os anos pela equipe de organizadores. Além de ser muito concorrida, a avaliação da FUVEST também possui um certo grau de dificuldade.

Diferenças e Semelhanças

Como você deve ter notado, as iniciativas permitem o acesso ao ensino superior e apesar de parecerem iguais, elas possuem algumas diferenças.

Apesar do objetivo de as duas avaliações ser basicamente o mesmo, vale lembrar que a FUVEST é destinada ao ingresso na Universidade de São Paulo (USP) ou na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSC-SP), enquanto o ENEM é destinado às universidades de todo o Brasil.

Uma semelhança entre eles é a realização das provas em dias diferentes. A FUVEST tem primeira e segunda fase e o ENEM é realizado em dois domingos consecutivos.

As duas avaliações podem ter um processo parecido, mas são diferentes em sua estrutura. o ENEM é conhecido por apresentar textos longos e de difícil entendimento, enquanto a FUVEST dispõe de problemáticas mais objetivas, com conteúdos específicos.

Sistema de agendamentos do Governo Federal

Para evitar filas e confusões nos atendimentos presenciais, o Governo Federal desenvolveu um sistema onde é possível agendar seguro desemprego através da internet, facilitando a vida de milhares de brasileiros. Esse processo é muito simples e pode realizado em poucos minutos, acompanhe e explicaremos tudo logo a seguir.

O benefício do seguro desemprego pode ser solicitado pelos trabalhadores com registro em CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social) que tenham sido demitidos de seu último emprego sem justa causa. Para entender melhor como o Seguro Desemprego funciona, quem tem direito ao recebimento das parcelas e como é possível agendá-lo pela internet, fique com a gente neste artigo.

Agendar o benefício

O agendamento seguro desemprego deve ser sempre realizado unicamente pela internet, através de um endereço eletrônico fornecido gratuitamente pelo Ministério do Emprego e Trabalho, esse processo será explicado detalhadamente no tópico a seguir.

  • A documentação necessária para levar no dia agendado é:
  • Formulários do seguro desemprego gerados pela internet;
  • Carteira de trabalho;
  • CPF;
  • Documento de identificação;
  • Termo de rescisão do trabalho.

Sem sombra de dúvidas, a principal vantagem em agendar o dia de atendimento para procedimentos de seguro desemprego pela internet diz respeito à facilidade. Dentro de alguns instantes, você já estará com tudo agendado para o dia e horário de sua preferência. Por outro lado, o seguro desemprego agendado pela internet também facilita o andamento do seu processo como um todo, fazendo com que comece a receber o benefício o quanto antes.

Como Agendar o auxílio

Caso deseje facilitar o atendimento, agendar seguro desemprego 2021 através da internet é a melhor opção, pois é possível evitar diversos transtornos que ocorrem no atendimento presencial. Vale ressaltar que com o agendamento o beneficiário ganha bastante tempo, como consequência não irá perder os prazos para receber o benefício.

O Governo Federal está evoluindo e modernizando seus sistemas de serviços online, buscando praticidade e agilidade na execução dos mesmos, em função disso o agendamento seguro desemprego está sendo realizado pela internet, outro processo que é realizado online é o Empregador Web.

Confira a seguir como agendar seguro desemprego:

  • Acesse o site saaweb.mte.gov.br;
  • Selecione seu Estado, Município e o Tipo de Atendimento;
  • Digite o código de segurança;
  • Clique em “Prosseguir”;
  • Na próxima página você irá escolher a data e o horário do atendimento;
  • Para confirmar digite o código de segurança e clique em “Agendar”.

Lembre-se de guardar a data e o horário para não ocorrer nenhum equívoco já que o agendamento seguro desemprego 2021 é uma alternativa que pode ser acessada em qualquer dispositivo com internet na hora que você desejar. Não deixe de realizar o procedimento, caso contrário não será possível receber o seguro desemprego.

A seguir deixaremos mais informações sobre o seguro desemprego para que você fique ciente sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas sobre o benefício. Confira abaixo!

No dia 30 de dezembro de 2014 alguns requisitos foram alterados para a obtenção do benefício do seguro desemprego pelos trabalhadores brasileiros. A decisão teve como principal objetivo auxiliar o governo brasileiro na economia e equilíbrio de contas, com prazos um pouco mais delimitados para garantir o acesso ao benefício pelo trabalhador demitido.

Sendo assim, atualmente o seguro desemprego está funcionando de modo que o trabalhador, para receber o benefício, precisa ter recebido (comprovadamente em folha de pagamento de pessoa jurídica) salários de:

Pelo menos 10 salários mensais nos últimos dois anos (ou seja, 24 meses). Esse período deve ser imediatamente anterior à dispensa no serviço e é válido só para funcionários que estão realizando a sua primeira solicitação no seguro desemprego;

Pelo menos 12 salários mensais nos últimos 16 meses, que também devem ser imediatamente anteriores à dispensa, para os trabalhadores que estão realizando a sua segunda solicitação no seguro desemprego;

Recebimento de um salário a cada seis meses (que devem ser anteriores à data da dispensa no serviço) no caso de demais solicitações (a partir da 3ª vez).

Quem tem direito de receber o seguro desemprego?

De modo geral, todo trabalhador que tenha registro na carteira e tenha sido demitido sem a condição de justa causa tem direito a receber o seguro desemprego. Porém, o valor recebido irá depender de qual solicitação do benefício, confira a seguir em qual você se enquadra:

1ª Ocasião:

  • O trabalhador receberá quatro parcelas fixas caso comprovado o vínculo empregatício de no mínimo 18 e no máximo 23 meses;
  • O trabalhador receberá cinco parcelas fixas caso comprovado o vínculo empregatício de no mínimo dois anos (ou seja, 24 meses).

2ª Ocasião:

  • O trabalhador receberá 4 parcelas fixas caso comprovado o vínculo empregatício de no mínimo 12 e no máximo 23 meses;
  • O trabalhador receberá 5 parcelas fixas caso comprovado o vínculo empregatício de no mínimo dois anos, ou seja, 24 meses.

3ª Ocasião:

  • O trabalhador receberá 3 parcelas fixas caso comprovado o vínculo empregatício de no mínimo 6 e no máximo 11 meses;
  • O trabalhador receberá 4 parcelas fixas caso comprovado o vínculo empregatício de no mínimo 12 e no máximo 23 meses;
  • O trabalhador receberá 4 parcelas fixas caso comprovado o vínculo empregatício de no mínimo dois anos, ou seja, 24 meses completos.

Valor do benefício

Foi atualizada recentemente a tabela que fornece o valor seguro desemprego 2021, onde varia era entre R$880,00 e R$1.542,24, importante citar que o valor nunca pode ser menor que o valor do salário mínimo recorrente. Confira logo a seguir os valores e as situações onde os mesmos se enquadram:

  • Para os que recebem salários fixos de até R$1222, o valor da parcela será o do salário mínimo x 0.8;
  • Para os que recebem salários fixos de R$1222 a até R$2038, o valor da parcela será de R$978 + o que exceder a multiplicação de 1.222 por 0.5;
  • Para os que recebem salários fixos acima de R$2038 o valor da parcela será de R$1385.

E agora que você já conhece tudo sobre o benefício, como ele funciona e como realizar o agendamento seguro desemprego pela internet através do site do MTE (mesmo portal do Mais Empregos), não hesite em ir atrás dos seus direitos como trabalhador. Caso ainda possua dúvidas, deixe seu comentário logo abaixo e ajudaremos assim que possível!

Quanto ganha um professor infantil? Precisa de diploma superior?

Os primeiros anos da educação infantil são momentos de grande importância para a formação de uma criança, dessa forma é importante que os profissionais que atuam como educadores infantis sejam capacitados para oferecer a melhor formação.

Se você deseja saber quanto ganha um professor e se é necessário ter um diploma para atuar nessa área da educação continue lendo.

A seguir falaremos um pouco mais sobre o piso salarial de um professor infantil e os requisitos que esse profissional precisa atender para atual no mercado de trabalho.

Teacher helping girl in homework
  • Não deixe de conferir a Tabela Salário Mínimo 2020.

Professor infantil precisa de diploma superior?

Em diversas áreas de atuação o diploma superior é um pré-requisito, porém ainda existem setores que não exigem essa formação dos seus profissionais.

Por muitos anos o professor infantil atuou tendo como formação apenas o Magistério, que não é um curso superior, mas um curso de nível médio que habilita o professor para atuar dentro da Educação Infantil.

Nos últimos anos as regras foram reformuladas, dessa forma, para atuar da Educação Básica até o 5º ano do ensino fundamental os professores devem possuir formação superior em pedagogia.

Quanto ganha um professor infantil

Vamos agora falar sobre o salário mínimo de um profissional que atua como professor infantil!

Inicialmente você sabe o que é piso salarial? Esse é o menor valor de salário que um profissional pode receber por suas atividades dentro da sua categoria, sendo esse um valor determinado por lei ou por sindicatos.

O piso salarial de um professor varia de acordo com o nível de ensino ao qual ele leciona, e a seguir poderemos conferir melhor os valores para um professor infantil.

  • Piso salarial para professor com magistério: R$ 1.917,78.

Esse piso salarial incide sobre professores da rede pública que possuem a sua formação em magistério nível médio e atua com carga horária de 40 horas semanais lecionando na educação infantil e no ensino fundamental.

  • Piso salarial para professor de escolas privadas no ensino infantil: R$ 1.134,21.

Vigente para professores que atual da educação infantil até o 5o ano do ensino fundamental, esse piso está de acordo com o Sindicato dos Professores de São Paulo.

  • Média salarial de professores por nível de atuação

O valor do piso salarial pode mudar de acordo com o nível de ensino onde o professor está atuando, dessa forma confira a seguir uma média entre as regiões do Brasil:

  • Professor da Educação Infantil (primeiros anos): R$ 1.500,00;
  • Professor do Ensino Fundamental: R$ 1.800,00;
  • Professor do Ensino Médio: R$ 2.400,00;
  • Professor Universitário: R$ 3.200,00;
  • Professor do Ensino Técnico: R$ 1.800,00;
  • Professor do Ensino a Distância (EAD): R$ 2.000,00.

É importante lembrar que o salário do professor infantil pode ser reajustado anualmente pelo Governo Federal como aconteceu no ano de 2018 onde um reajuste de 6,81% foi aplicado sobre o piso salarial dos professores infantis.

Ministério da Educação a cada dia cria novas iniciativas para estimular o estudo

O Ministério da Educação a cada dia cria novas iniciativas para estimular o estudo. Deste modo o Fies 2020 Mestrado permite cursar um ensino superior com boas condições de financiamento. Para os interessados no programa não deixe de acompanhar o artigo. No texto do Fies 2020 Mestrado iremos orientar e saber como ter o benefício.

Entenda sobre o FIES 2020 mestrado

Os alunos que desejam iniciar um ensino superior e não tem condições, o FIES 2020 mestrado é uma alternativa. Atualmente é a melhor opção de financiamento estudantil.

Desenvolvido pelo Ministério da Educação o projeto tem como intuito financiar o estudo superior. Com isto o aluno pode fazer faculdades/universidades privadas, além do mestrado.

Agora é possível ter o financiamento dos cursos de pós-graduação através deste programa do MEC. Normalmente quem faz mestrado são os profissionais que tem o desejo de atuar como pesquisador ou licenciado. Por meio desta modalidade é possível garantir a formação de doutores.

Assim como é possível financiar a graduação, o candidato também pode fazer o mesmo com o seu curso de pós-graduação.

Como funciona

Para ter o benefício é preciso saber mais detalhes sobre o FIES 2020 mestrado. Deste modo, abaixo segue alguns critérios sobre o programa de mestrado.

  • O financiamento não abrange os alunos de pós-graduação Lato Sensu (especialização ou MBA);
  • Alunos com bolsa Prosup também não conseguem solicitar o financiamento.
  • O programa é destinado para cursos de pós-graduação Stricto Sensu;
  • A taxa de juros é de 3,4% ao ano;
  • O financiamento está disponível de 50% ou 100% da mensalidade da pós-graduação;
  • O programa de financiamento está disponível para mestrado e para doutorado.
  • Para ter mais detalhes o candidato pode entrar na página oficial do FIES, aqui.

Quem tem direito ao FIES 2020 mestrado

Para garantir o benefício e participar do FIES 2020 mestrado é necessário enquadrar nos requisitos.

Deste modo, os alunos que tem direito ao Fies 2020 Mestrado, precisam:

  • Ter matrícula em uma instituição que tem participação do projeto;
  • O financiamento pode ser solicitado parcial ou integral do curso;
  • O candidato deve ter uma renda de 2 salários mínimos;
  • Durante o curso, o interessado precisa fazer o pagamento de R$ 50 a cada três meses;
  • Após concluir o pagamento o prazo para iniciar o pagamento é de 18 meses.

Inscrição

Todas as inscrições são feitas pelo SISFIES 2020. Confira a seguir como fazer a sua inscrição.

  • O aluno deve entrar aqui no site do Sisfies.
  • Depois ele deve fazer o seu cadastro de primeiro acesso.
  • Na página digite, o CPF, data de nascimento, e-mail válido e senha de acesso.
  • Insira as suas informações nos campos apresentados.
  • Depois de receber a mensagem de confirmação conclua a inscrição no Fies e insira dados pessoais, do seu curso e da instituição.
  • No processo de pré-seleção, não esqueça de inserir as informações sobre o financiamento.
  • Finalize sua matrícula na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA);
  • Depois o aluno deve validar o seu financiamento. Para isto ele deve ir ao Banco do Brasil ou na Caixa Econômica Federal.

Central de Atendimento Fies 2020 Mestrado

Caso o interessado tenha alguma dúvida sobre o Fies 2020 Mestrado, ele pode esclarecer nos seguintes locais:

  • Central de Atendimento: 0800 61 61 61.
  • Formulário de contato: acesse aqui.

Mobilização de Médicos para Aumento de Salário

Na rede estadual, salário é de R$ 1.700,00 e, na capital, de R$ 2.200,00 para 20 horas semanais. Médicos dos Hospitais Emílio Ribas, Servidor Estadual e HC de Ribeirão Preto já confirmaram participação. Nesta terça-feira, 25 de outubro, será realizada a mobilização dos médicos que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS), convocada pelas entidades médicas nacionais – Associação Médica Brasileira (AMB), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Federação Nacional dos Médicos (FENAM).

Os médicos irão protestar, em ações programadas em todos os estados, contra a baixa remuneração, as más condições de trabalho, a insuficiência de recursos e a precariedade da assistência prestada à população no sistema público de saúde.

Em São Paulo, os médicos servidores do Estado paralisarão as atividades durante 24h, período em que irão ocorrer audiências públicas na Assembleia Estadual (13h30) e Câmara Municipal de São Paulo (10h). “É uma situação caótica e complexa, por isso estamos fazendo essa mobilização de alerta às autoridades e de informação à população, para que o Congresso Nacional, a presidente da República, o ministro da Saúde, os governadores, prefeitos e secretários estaduais e municipais tenham consciência de que é preciso melhorar a saúde pública e os médicos são parceiros relevantes nesse contexto, ressalta Cid Carvalhaes, presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) e da Federação Nacional dos Médicos.

Saiba ainda como realizar o atendimento pelo SUS para que você possa ter direito a procedimentos gratuitos pelo Sistema Único de Saúde.

Na rede estadual, 10.694 médicos estão vinculados diretamente à Secretaria de Estado da Saúde, sem contar aqueles contratados por hospitais universitários dentre outros empregadores do SUS. Nesta terça-feira, 25/10, será realizada a partir das 13h30 uma audiência pública na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa (ALESP), ocasião em que as entidades médicas irão apresentar dados sobre os baixos salários pagos pelos médicos do Estado e a falta de isonomia salarial entre médicos da mesma rede.

Já confirmaram presença na Alesp médicos de três grandes hospitais que irão paralisar as atividades no dia da mobilização, garantindo atendimento de emergência: Hospital Emílio Ribas, Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e Hospital do Servidor Público Estadual (Iamspe).

Os médicos da rede estadual reivindicam Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos (PCCV) e o piso nacional (salário mínimo profissional) da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) de R $ 9.188,22, para jornada de 20 horas semanais. Para se ter uma ideia da defasagem salarial, o concurso anunciado pela Secretaria de Estado da Saúde, com vagas para 700 médicos, prevê salário de R$ 1.757,25 para 20 horas (conforme Quadro de Cargos Permanentes da SES e Autarquias).

Há outros exemplos de baixos salários no Estado:

  • Iamspe (R$1.909,25)
  • Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (R$1.559,24)
  • Hospital Emílio Ribas (R$2.400,00)
  • Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (R$ 3.100, 00)
  • Hospital das Clínicas da Unicamp – Funcamp (R$3.143,82).

“Não podemos aceitar que um médico do HC receba R$ 3,1 mil, enquanto nossos colegas da maternidade e do hospital, também da rede estadual, recebem R$ 6,1 mil”, diz Eliene Menezes, da Associação dos Médicos do HC de Ribeirão Preto Otelo Chino Júnior, presidente da Associação Médica do Iamspe, confirmou a participação dos médicos.

“Vamos aderir à paralisação no dia 25 para denunciar o sucateamento do Hospital do Servidor Estadual e a ausência de um plano de cargos e salários para os médicos do Estado”. Margareth Eira, presidente da Associação dos Médicos do Instituto de Infectologia Emílio Ribas acrescenta que “os médicos da rede estadual de São Paulo estão entre aqueles que recebem os piores salários do país. Vamos à Assembleia Legislativa para denunciar esse absurdo e reivindicar o mínimo da Fenam de R$ 9188,22”.

Na rede pública municipal de São Paulo atuam aproximadamente 13 mil médicos, mas cerca de 20% dos postos de trabalho não são ocupados e 40% das unidades têm escalas médicas incompletas, sobretudo da periferia.

No entanto, não faltam médicos na cidade. Há em São Paulo o maior contingente de médicos do país: são 46.112 mil profissionais em atividade ou um médico para cada 231 habitantes, concentração superior à encontrada em muitos países, como Estados Unidos, Bélgica, Reino Unido e México.

Alguns motivos da falta localizada de médicos são: a ausência de um plano de carreira, más condições de trabalho, baixa remuneração, contratações temporárias, disparidade de salários praticados entre a administração direta e as Organizações Sociais (OSs), entre outras. Conforme o último concurso realizado, o baixo salário inicial de médicos da Secretaria Municipal de Saúde – R$ 2.209,10 para jornada de 20 horas, incluindo as gratificações – levou ao não preenchimento da maior parte das 774 vagas oferecidas.

No dia 25 de outubro, as entidades médicas também irão questionar o Projeto de Lei do Executivo, que tramita na Câmara Municipal e que prevê a contratação de médicos sem concurso, temporários, com instituição de jornada semanal de 12 horas e flexibilização da jornada de 20 horas. A audiência na Câmara Municipal será às 10h.

Ótima oportunidade para financiar seus estudos junto do Governo

Conheça uma ótima oportunidade para financiar seus estudos e saiba como participar do processo.

O Fies desse ano já finalizou, mas o governo está preparando uma nova edição do programa que ajuda jovens e adultos de diversas regiões do Brasil a realizarem seu ensino superior.

O que é o Fies, como ele funciona?

O Fies também é conhecido como Fundo de Financiamento Estudantil, e foi desenvolvido através do Ministério da Educação, contando com o objetivo de ajudar as pessoas a terem o acesso ao ensino superior através de financiamentos. A partir disto, os alunos se cadastram no programa para conseguirem o financiamento do curso que queiram realizar.

O desenvolvimento do programa aconteceu em 2010 e desde este ano vem ajudando milhares de pessoas no Brasil para terem acesso ao nível superior, uma situação que sempre foi complicada devido aos altos preços cobrados por instituições nas mensalidades.

O programa está disponível exclusivamente para as instituições privadas e não para instituições públicas, afinal de contas as instituições públicas não possuem custos. O melhor deste tipo de financiamento é que as taxas de juros seguem em baixa, isto permite que as pessoas realizem seu pagamento quando concluir o curso sem que isto venha a apertar o seu bolso.

Como fazer a inscrição através do Fies?

Este é um tipo de financiamento que pode ser solicitado durante o ano inteiro, algo que não ocorria no lançamento do projeto, onde haviam datas específicas para este tipo de coisa. Saiba que as inscrições FIES são realizadas pela internet, o que garante desta forma uma maior facilidade para interessados. Anteriormente as inscrições eram realizadas somente em agências bancárias, atualmente não existe mais esta necessidade, pela internet é possível fazer a inscrição.

Através do portal do Fies o chamado SisFies que nada mais é do que o sistema para inscrição do programa, as pessoas podem preencher os dados pedidos de forma correta e verídica, é fundamental o preenchimento de forma correta de todos os dados. Posterior ao envio do cadastro, as pessoas devem receber um e-mail informando devidamente a validação do cadastro no programa.

Saiba que no ato da inscrição, é onde você deverá informar qual será o curso e a instituição que você tem interesse em estudar, ou ainda está estudando e que irá financiar a sua mensalidade. É bastante importante que a instituição conte com uma parceria com este programa, caso isto não ocorra, não é possível que você faça parte do mesmo.

O portal para inscrição no programa fica no endereço do MEC.

Para se cadastrar é necessário incluir o seu CPF para começar o cadastramento, posteriormente procure preencher os demais dados até concluir os mesmos.

Como consultar os cursos e instituições?

Saiba que é possível realizar as consultas dos cursos e instituições devidamente conveniadas com o programa do FIES 2020 através da internet de forma mais rápida. Para isto basta informar seu estado, e a cidade que o site oferece o retorno com uma listagem de instituições devidamente conveniadas.

Para a consulta basta acessar facilmente o portal do Fies, em seguida procure determinar o Estado, Município, Instituição e os locais de oferta.

Ao se informar corretamente sobre os convênios da instituição, acaba ficando muito mais fácil na hora de se cadastrar, desta forma você terá o conhecimento correto se a instituição que você irá estudar é devidamente conveniada ou não.

Como simular o Fies?

Saiba que você poderá simular o financiamento do Fies pela internet, sem que tenha a necessidade de ir até uma agência bancária para realizar este processo. Se quiser saber como ficará para você aderir a este programa, procure agora mesmo entrar no site e simule, as ferramentas deverão mostrar corretamente cada um dos passos para você.

O portal para realizar a simulação pode ser acessado no endereço www.sisfiesportal.mec.gov.br.

Ao acessar o site será solicitado algumas informações para que o sistema possa fazer o cálculo de financiamento, em contrapartida, procure informar os pedidos para que você tenha algum retorno exato de tudo o que pretende solicitar.

São muitas as linhas de financiamento, e ele pode ser feito a partir de 50% podendo chegar a até 100% do curso. Quando o programa foi lançado, o aluno poderia financiar apenas 50 ou 100% de sua mensalidade, atualmente existem diversas opções.

Como é feito o pagamento?

Uma das dúvidas bastante comuns acaba dizendo respeito ao pagamento do FIES, já que todos querem saber como fica após o curso acabar. Em contrapartida, o pagamento é um processo simples e prático de ser realizado, e o programa facilita bastante para que o aluno execute o processo.

De forma resumida, o pagamento poderá começar em até 18 meses após o aluno ter finalizado o curso, este período de carência é oferecido pelo programa, em contrapartida, se o aluno quiser começar assim que terminou o seu curso não há problema.

Durante a vigência do pagamento, os alunos deverão pagar a cada três meses uma taxa equivalente de R$ 50, este é um valor relacionado ao pagamento dos juros incidentes sobre o financiamento, lembrando porém que ele acontece apenas uma vez em cada trimestre.

Os valores pagos podem ser parcelados em até três vezes ao período do curso financiado. É possível também se acrescer em torno de 12 meses caso o aluno ache necessário para fazer o pagamento, se assim ficar um pouco melhor para ele realizar estes pagamentos.

Qual o Aprendizado do Estudante no Ensino Médio

Os conteúdos de física na maioria das vezes se tornam difíceis para o entendimento da maioria das pessoas, o conteúdo inclusive é odiado e menos compreendido no Ensino Médio. Existe para isto uma justificativa para que se possa continuar achando que a Física é realmente tudo isso. A intenção é dar algumas dicas para aprender conteúdos de física sozinho, sem a ajuda de um professor, além de resolver questões simples da matéria, e quem sabe até achar mais fácil o conteúdo e se sentir mais motivado para prosseguir.

Como dito acima, esse conteúdo é apreendido no ensino médio, mas e se você não fez o ensino médio? Não tem problema, você poderá concluir o mesmo através do Encceja 2020. No entanto, não terá o aprendizado do ensino médio regular. Sendo assim, você precisará estudar por fora.

A prova do Encceja 2020 é feita apenas uma vez ao ano, por isso, você deve ficar atento a data das inscrições e começar a preparar o quanto antes. Somente dessa forma terá um bom desempenho.

Confira algumas dicas para aprender física sozinho:

Entenda que sua opinião e o conceito de ciência são coisas diferentes

A grande parte dos estudiosos de Física foram condenados por apresentar situações de ideias científicas corretas, e diferentes do senso comum. Isto significa que o conceito científico é algo bem diferente de tudo o que você acha e visualiza no dia a dia por exemplo.

É fundamental que se possa aceitar que na ciência tudo é bem diferente do que você acha que está acontecendo. E é interessante não sofrer quando o assunto não fizer sentido para você.

Para se ter ideia, diversos cientistas foram presos, torturados e mortos por defenderem suas ideias, e elas não eram aceitas na sociedade da época. Atualmente muitos destes conceitos são aceitos como verdade absoluta da ciência, mas não é entendido com facilidade pelas pessoas.

O assunto não é apenas difícil de entender, acabamos frequentemente utilizando expressões erradas para falar de fenômenos físicos diariamente, reforçando assim os erros de conceitos e dificultar assim o aprendizado.

Procure corrigir o que seus amigos falam, mas antes disto tenha propriedade que o que fala está correto.

É fato que muitas frases que falamos, está colocada de forma errada pois não colocamos o conceito científico no determinado lugar, como por exemplo, está calor, o sol se pôs ou ainda meu peso é 50kg. Tudo isto está errado, porém para corrigir, e falar corretamente sobre calorimetria, corpos celestes e forças, é fundamental que se conheçam os conceitos.

Estudar sobre este assunto, e corrigir mesmo seus amigos, além de se corrigir, é uma forma interessante de memorizar e ensinar aos mesmos. Avise os amigos antes que está estudando e precisa desta força para que eles possam o compreender.

Procure praticar exercícios sempre

A física é uma das matérias que não conseguimos de forma alguma aprender sem colocar a mesma em prática. Os conteúdos de história, português e também biologia, aparecem em questões teóricas do vestibular, mas que isto não vale para as áreas de ciências exatas.

Aprender a teoria é importante, mas não é a teoria que deverá cair no Enem, procure saber resolver corretamente exercícios, e se utilize de fórmulas.

Procure organizar todas as informações dos enunciados de questões

Os nomes que para muitas pessoas são considerados estranhos de variáveis físicas começam a ser mais familiares depois de estudar bastante sobre as teorias. Procure a partir disto, circular informações que serão mais importantes na hora de resolver por completo as questões.

Vale a pena escrever todos os números apresentados, e tudo o que eles podem significar, seja a velocidade, a distância, entre outras coisas. A partir desta organização é possível descobrir que tipo de fórmula devemos utilizar.

Além disto, é interessante que deixemos a preguiça de lado e reescrevemos as informações que serão utilizadas nos cálculos. Este ponto é muito importante para que se faça uma boa interpretação de texto, e se possam evitar erros considerados desnecessários.

Cursos preparatórios e técnicos tem grande relevância para o mercado de trabalho

Para se obter um excelente emprego as vezes um diploma universitário aparentemente não é mais um diferencial, cursos preparatórios e técnicos podem exercer um peso melhor no preenchimento de uma vaga.

A grande parte dos cursos Gratuitos são dados em instituições públicas ou fundações que fazem inclusão social de maneira aberta para atender a maior fatia da população. Quando o objetivo for profissional, quando buscar um curso pago, o estudante deve buscar empresa idônea, para garantir que o curso escolhido é de ótima qualidade.

Mas, se você ainda deseja realizar um curso de nível superior é preciso ter concluído o ensino médio, e se você não conseguiu fazer isso no período regular, tem a oportunidade de participar do Encceja 2020.

A prova do Encceja 2020 permite que você conclua o ensino fundamental e o ensino médio. Lembrando que para conseguir o seu diploma, é importante que você se prepare e atinja um bom desempenho.

Apresentar o certificado de um curso é a certeza de que ele foi concluído. Possuindo o diploma de um curso em mãos o profissional deve alcançar um emprego melhor, um ganho de salário ou novas perspectivas na vida profissional. Se você está procurando um curso profissionalizante, prefira aqueles que tenham certificados.

Os Cursos preparatórios são uma maneira ótima de ajudar os alunos a estudarem para um concurso ou algum teste específico. Em São Francisco do Glória existem diversos cursos preparatórios que auxiliam os estudantes a se prepararem para concursos públicos e vestibulares.